Ir para o conteúdo

Prefeitura de Aparecida e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura de Aparecida
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JAN
31
31 JAN 2023
ADMINISTRAÇÃO
ASSISTÊNCIA SOCIAL E DA MULHER
PLANEJAMENTO E GOVERNO
Expectativas para 2023: Conselho de Promoção de Igualdade Racial em Aparecida
enviar para um amigo
receba notícias
Na última segunda-feira (30), a Prefeitura de Aparecida por meio da Secretária Municipal de Assistência Social e da Mulher, Natália Carvalho, a convite da Câmara Municipal, participou da Audiência Pública sobre o Projeto de Lei n° 76/2022, de autoria do Executivo Municipal, por iniciativa do Prefeito Luiz Carlos de Siqueira (Piriquito), para discussão da criação de um Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial.

Trata-se de pauta fundamental para toda a sociedade, com especificidades para a Política de Assistência Social. Afinal, a desigualdade social brasileira, com todas as expressões e demandas que isso apresenta para a Política de Assistência Social, está intrinsecamente relacionada ao racismo estrutural e aos séculos de escravização de africanas e africanos em solo brasileiro.

Além disso, o racismo, a discriminação e a desigualdade racial produzem e potencializam vulnerabilidades sociais, não só no seu aspecto econômico, mas também por meio da humilhação, da invisibilização, da estigmatização, do aniquilamento de subjetividades e do extermínio das populações periféricas.

Não é a toa que a maior parte de quem procura e demanda a política de Assistência Social é negra - especialmente mulheres negras- e entendemos que não é possível ofertar respostas de qualidade e que efetivamente garantam direitos sem considerar essa dimensão estrutural da sociedade brasileira, que é a discriminação racial e o racismo que se expressa nas mais diversas formas.

Entendemos que a participação democrática e direta da sociedade, especialmente dos sujeitos que sofrem diretamente a discriminação racial, por meio de um Conselho Municipal, é fundamental para tensionar todo o conjunto de políticas públicas, inclusive a Assistência Social e as Políticas para Mulheres, para dar visibilidade e centralidade às pautas de promoção da igualdade racial.
.
Fonte: Subsecretaria Municipal de Comunicação
Seta
Versão do Sistema: 3.4.1 - 29/04/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia